EDIÇÃO

 

TÍTULO DE ARTIGO


 

AUTOR


ÍNDICE TEMÁTICO 
66
Palabra concreta
ano XXXIII - Junho 2021
183 páginas
capa: Augusto de Campos
  



capa: Augusto de Campos

voltar ao acervo








EDITORIAL  
TEXTOS  
Entrevista com Geneviève Haag e Bernard Golse
Tradução?Camila Saboia e Andrea Carvalho

Resumo?Este artigo em forma de entrevista traz uma conversa entre dois especialistas na clínica das psicopatologias da infância. Bernard Golse conduz a conversa com Geneviève Haag, abordando o lugar das dissociações sensoriais no desenvolvimento e nas patologias arcaicas. Os autores abordam o papel da integração da polissensorialidade na construção do self e a relevância do diálogo tônico-emocional pré-natal, da ritmicidade sonora, da sinestesia, da articulação entre os dois lados do corpo próprio e da integração dos membros do corpo. Haag também se refere aos efeitos de desmantelamento oriundos da dessincronização dessa união polissensorial, e seus impactos sobre a construção do Eu corporal.
ABSTRACT
This article in the form of an interview brings a conversation between two specialists in the clinic of childhood psychopathologies. Bernard Golse leads the conversation with Geneviéve Haag, addressing the place of sensory dissociations in development and archaic pathologies. The authors address the role of integrating polysensoriality in the construction of the self and the relevance of prenatal tonic-emotional dialogue, sound rhythmicity, synesthesia, articulation between the two sides of the body itself and the integration of body members. Haag also refers to the dismantling effects arising from the desynchronization of this polysensory union, and its impacts on the construction of the bodily Self.
 
A través de su trayectoria como psicoanalista, el autor busca situar los aportes del Psicoanálisis argentino, desarrollado en la tensión con los acontecimientos políticos dictatoriales de su país y sus graves repercusiones en la subjetividad, especialmente de los niños, victimas de la violencia estatal. Para ello, incursiona en el lugar de la infancia en el pensamiento occidental. El autor subraya la importante influencia de los movimientos de las Madres y Abuelas de la Plaza de Mayo en los caminos del psicoanálisis argentino en los tiempos de terror, y realza la importancia de la acción política de los psicoanalistas en el contexto anterior y en el actual.

Revisão técnica?Maria Aguilera Franklin de Matos, revisora e tradutora de língua espanhola e aluna do curso de Psicanálise (cortesia).
ABSTRACT
Recalling his trajectory as a psychoanalyst, the author seeks to contextualize the contributions of the Argentinean psychoanalysis. It was constructed/developed in tension with the dictatorial political events of his country, which had repercussions on subjectivity, especially on children who were victims of State violence. In order to do so, he makes an incursion into the place of Childhood in Western thought. The author highlights the great influence that the Plaza de Mayo Mothers and Grandmothers movement had on the paths of Argentinean psychoanalysis in times of terror and emphasizes the importance of the political action of psychoanalysts both in the past and today.
 
Neste texto, procuro refletir sobre o florescimento social de novas experiências identitárias, cujas posições se mostram mais permeáveis e permutáveis no decorrer da vida. Considero as noções de transidentidade e identidade performática, postuladas, respectivamente, por Stuart Hall e Judith Butler, bem como suas possíveis contribuições à clínica psicanalítica. Avalio a utilidade do conceito de transidentidade, especialmente nas análises intergêneros e inter-raciais.
ABSTRACT
In this essay, I intend to reflect on the social blooming of new identity experiences, whose positions become more permeable and interchangeable throughout life. I consider the notions of trans identity and performative identity, postulated, respectively, by Stuart Hall and Judith Butler, and their possible contributions to the psychoanalytic clinical process. I assess the usefulness of the concept of trans identity, especially regarding the intergender and interracial analysis process.
 
Pretende-se através deste artigo analisar criticamente dois diferentes modos de enunciação do problema do racismo no laço social?– falar sobre e falar com?– em suas dimensões psíquica e política, visando pensar possíveis consequências de ambos os modos quando assumidos por nós, psicanalistas, em suas posições discursivas, no exercício de nosso ofício. O trabalho assenta-se em três eixos: a afirmação do racismo como linguagem; a compreensão do racismo como trauma e a discussão das posições do falar sobre e do falar com em alguns de seus efeitos.
ABSTRACT
The aim of this article is to critically analyze two different enunciation’s ways about the racism problem in the social bond?– talking about and talking with?– In their psychic and political dimensions, aiming to think about possible consequences of both ways when it’s assumed by us, psychoanalysts, in our discursive positions, on our work’s exercise. The work is based on three axes: the affirmation of racism as a language; the understanding of racism as trauma and “talking about” and “talking with” position’s discussion in some of its effects.
 
Este artigo apresenta algumas considerações sobre a conceitualização do complexo de Édipo no encontro com os estudos sobre os feminismos, abordando alguns eixos de tensões e aberturas. A partir da escuta clínica e dos discursos sociais e subjetivos contemporâneos, o artigo propõe colocar em movimento algumas problematizações clínico-políticas.
ABSTRACT
Oedipus complex; sexual difference; female sexuality; feminisms; identities fights.
 
O presente artigo apresenta considerações sobre o tema do intraduzível a partir dos desenvolvimentos teóricos de Jean Laplanche, como aquilo que permanece no psiquismo sem tradução, impossibilitando a organização de um espaço que promova recomposições psíquicas e permita um ordenamento do psiquismo. Além disso, são apresentados desenvolvimentos teórico/clínicos de Silvia Bleichmar e Christophe Dejours, voltados para a intervenção em patologias não neuróticas, que demandam alterações da técnica clássica freudiana, para atender às especificidades dessas patologias.
ABSTRACT
This article presents some remarks on the topic of the untranslatable departing from the theoretical developments of Jean Laplanche, as what remains in the psyche without translation, turning it impossible to organize a space that promotes psychic recompositions and allows an ordering of the psyche. Moreover it presents theoretical/clinical developments by Silvia Bleichmar and Christophe Dejours which aim at a clinical approach to non-neurotic pathologies that demand substantial changes in the classic Freudian technique so to meet the specificities of these pathologies.
 
Este texto percorre a vida de Anastácia por meio dos pesadelos que a acompanham, como sonhos traumáticos. A autora visa investigar a capacidade ou a possibilidade de o trauma virar sonho sob uma hipótese: de que a repetição seria uma espécie de chamado ao psiquismo para que este realize um trabalho de inscrição do evento traumático que servirá de base para outros trabalhos psíquicos, como o luto e o sonho.
ABSTRACT
This text travels through Anastasia’s life through her accompanying nightmares, like traumatic dreams. The author aims to investigate the capacity or the possibility of the trauma becoming a dream under a hypothesis: that repetition would be a kind of call to the psyche so that it performs a work of registering the traumatic event that will serve as a basis for other psychic works, such as grief and dream.
 
O artigo aborda a importância das reflexões de Silvia Bleichmar sobre o traumático no pós-terremoto do México em 1985, em especial a partir do pensamento de Bion, para a construção de suas proposições sobre a dupla função materna (mãe que sexualiza o bebê ao mesmo tempo que oferece tramitação para este traumático) e sobre o caráter indiciário dos signos de percepção, ainda em gérmen em 1985.
ABSTRACT
The article discusses the importance of Silvia Bleichmar’s reflexions on trauma after the earthquake that occurred in Mexico in 1985, mainly observing Bion’s thinking, regarding the construction of her propositions on the double role of mothering (mother who sexualizes the baby at the same time that offers conditions to process this trauma) and on the indexing character of the perceptual signs, still incipient in 1985.
 
Partindo do aporte teórico psicanalítico, busca-se destacar aquilo que é típico do sujeito melancólico e estabelecer paralelos com o Brasil. Entende-se que o país é palco de uma violência estrutural que incorpora a morte, considerando especialmente o genocídio sistemático de uma parcela da população. Objetiva-se edificar uma reflexão metafórica a partir de uma escuta sociopolítica, iluminando, assim, determinados caminhos.
ABSTRACT
Having the psychoanalytic theory as a core base, this article’s main objective is to highlight what is typical of the melancholic ­subject and set a parallel with Brazil. It is understood that the country is the stage of a structural violence that incorporates death, with a special consideration to the systematic genocide of a part of its population. This piece seeks to build a metaphoric reflection drawn from a sociopolitical listening, which will shed light on certain paths.
 
 


ENTREVISTA  
ENTREVISTA
Patrícia Porchat

Realização?Ana Claudia Patitucci, Bela M. Sister, Cristina Parada Franch, Danielle Melanie Breyton, Deborah Joan de Cardoso, Silvio Hotimsky e Tatiana Inglez-Mazzarella.
 
DEBATE  
Realização?Camila Junqueira, Cristiane Abud Curi, Gisela Haddad, Ivy Semiguem, Thiago Majolo e Vera Zimmermann
 
DEBATE CLÍNICO  
LEITURAS  
Resenha de Daniel Delouya, Análise, teimosia do sintoma e migração, São Paulo, Blucher, 2021, 344 p. (Série Escrita Psicanalítica, coord. Marina Massi).
 
Resenha de Priscilla Roth e Alessandra Lemma (orgs.), Revisitando “Inveja
e gratidão”, São Paulo, Blucher, 2020, 384 p.
 
Resenha de Luís Cláudio Figueiredo,
A mente do analista, São Paulo, Escuta, 2021, 134 p.
 
Resenha de C. Ibertis; R. G. C. Gonçalves (orgs.), Filosofia e psicanálise: olhares sobre arte e literatura, Salvador, EDUFBA, 2020, 293 p.
 
Resenha de Ana de Staal; Howard B. Levine (orgs.), Psicanálise e vida covidiana?– Desamparo coletivo, experiência individual, São Paulo, Blucher, 2021, 394 p.
 
 
 

     
Percurso é uma revista semestral de psicanálise, editada em São Paulo pelo Departamento de Psicanálise do Instituto Sedes Sapientiae desde 1988.
 
Sociedade Civil Percurso
Tel: (11) 3081-4851
assinepercurso@uol.com.br
© Copyright 2011
Todos os direitos reservados